Brasil termina Olimpíada com 21 medalhas, sendo sete de ouro

Resultado em Tóquio 2020 superou desempenho em Rio 2016 e marcou melhor Olimpíada da história da delegação brasileira

0
95
Foto: Tokyo 2020/Instagram

O Time Brasil sairá de Tóquio 2020 cheio de pódios na memória e com o orgulho de ter feito a melhor campanha brasileira na história da competição. Com 21 medalhas (sete ouros, quatro pratas e oito bronzes), o Brasil ainda chegou a flertar com o top 10 do ranking geral, outra marca que seria inédita, mas terminou na 12ª colocação.

Há cinco anos, como anfitrião e com a maior delegação que o país já levou aos Jogos, o Brasil conquistou o mesmo número de medalhas de ouro e prata, mas foram seis de bronze, duas a menos que em Tóquio. O recorde naquela edição também marcou o maior número de medalhas obtidas pela delegação, outra marca batida pelo Time Brasil em Tóquio.

Ambos recordes, que agora pertencem à delegação de Tóquio, poderiam ter sido ampliados na madrugada deste domingo, mas Beatriz Ferreira, do boxe, e a equipe feminina de vôlei acabaram perdendo na final e ficando só com a prata.

A partir do dia 24 de agosto, será a vez da delegação brasileira nas Paralimpíadas de buscar novos recordes depois do 7º lugar em Londres 2012 e do 8º em Rio 2016.

OURO

Seleção brasileira masculina (futebol): Uma vitória emocionante sobre a Espanha levou o Brasil ao segundo ouro consecutivo no futebol;

Hebert Conceição (boxe): O pugilista baiano Hebert Conceição venceu por nocaute a luta contra o ucraniano e ganhou a medalha de ouro na categoria até 78 kg;

Isaquias Queiroz (canoagem): Isaquías Queiroz mostrou ser o maior canoísta da atualidade e venceu a prova final da categoria C1 1000 metros deixando todos os seus adversários para trás. É a quarta medalha olímpica de Isaquías, a primeira de ouro;

Ana Marcela Cunha (maratona aquática): Ana Marcela venceu a maratona aquática de 10 km e se tornou a primeira mulher brasileira a ganhar ouro na natação;

Martine Grahel e Kahena Kunze (vela – classe 49er FX): Martine e Kahena venceram duas das 13 regatas e conquistaram o bicampeonato olímpico na vela;

Rebeca Andrade (ginástica artística): Rebeca conquistou a medalha de ouro na prova do salto sobre a mesa na Olimpíada de Tóquio. Ela também foi medalha de prata no individual geral e finalista no solo;

Ítalo Ferreira (surfe): Ítalo Ferreira brilhou na estreia do surfe no calendário olímpico e conquistou o ouro na Olimpíada de Tóquio.

PRATA

Seleção brasileira feminina (vôlei): O Brasil fez uma campanha invicta no torneio feminino de vôlei até a final, quando perdeu para os Estados Unidos por 3 sets a 0 e ficou com a medalha de prata;

Beatriz Ferreira (boxe): Bia Ferreira foi gigante na Olimpíada, venceu todas as lutas até a final, quando foi derrotada pela irlandesa Kellie Anne Harrington por decisão dos árbitros e ficou com a medalha de prata no boxe na categoria até 60 kg;

Rebeca Andrade (ginástica artística): Rebeca começou a encantar Tóquio com a medalha de prata obtida na final individual geral da ginástica artística;

Rayssa Andrade (skate – street): Aos 13 anos, Rayssa Andrade, a Fadinha, foi prata na estreia do skate em olimpíadas e se tornou a mais jovem atleta brasileira a ganhar medalha;

Kelvin Hoefler (skate – street): Kelvin Hoefler brilhou na disputa do skate street e conquistou a medalha de prata entre os homens;

Pedro Barros (skate – park): Pedro Barros garantiu a medalha de prata em final com alto nível técnico.

BRONZE

Thiago Braz (atletismo – salto com vara): Campeão no Rio 2016, Thiago Braz terminou em terceiro lugar na final da prova do salto com vara em Tóquio com a marca de 5m87 e levou a medalha de bronze;

Abner Teixeira (boxe – até 91 kg): O pugislita Abner Teixeira fez excelente campanha em Tóquio e ficou com a medalha de bronze em sua categoria;

Alison dos Santos (atletismo – 400 metros com barreiras): Alison dos Santos confirmou sua ótima fase e foi medalha de bronze em uma prova que teve até recorde mundial;

Bruno Fratus (natação – 50 m livre): O nadador Bruno Fratus ganhou finalmente uma medalha olímpica com o bronze na prova dos 50 m livre;

Laura Pigossi e Luisa Stefani (tênis – duplas feminino): As tenistas Laura e Luísa foram inscritas às vésperas do início da Olimpíada e surpreenderam jogando com garra para ganhar a medalha de bronze no torneio feminino de duplas em uma decisão emocionante contra as russas;

Mayra Aguiar (judô – até 78 kg feminino): Mayra Aguiar ganhou a medalha de bronze e alcançou a sua terceira medalha olímpica no judô, todas de bronze;

Fernando Scheffer (natação – 200 m livre): O nadador Fernando Scheffer terminou em terceiro lugar na final dos 200 m livre e levou a medalha de bronze em sua primeira olimpíada;

Daniel Cargnin (judô – até 66 kg): Em sua primeira olimpíada, Daniel Cargnin foi bronze na categoria até 66 kg do judô.

Portal R7/Folha Vitória

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here