Banco Central mantém taxa de juros em 10,50%

Decisão foi tomada por unanimidade pelo Comitê de Política Monetária (Copom)

0
41

O Banco Central do Brasil decidiu manter a taxa básica de juros (Selic) em 10,50% ao ano, destacando a necessidade de cautela diante de um cenário econômico marcado por incertezas tanto no âmbito internacional quanto doméstico. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Comitê de Política Monetária (Copom), que optou por interromper o ciclo de queda de juros.

O Banco Central ressaltou que o ambiente externo continua adverso devido à elevada incerteza sobre a flexibilização da política monetária nos Estados Unidos e a velocidade com que a inflação cairá de forma sustentada em diversos países. Os principais bancos centrais do mundo estão determinados a trazer as taxas de inflação de volta às suas metas, enfrentando pressões nos mercados de trabalho. Essa conjuntura exige cautela especial por parte dos países emergentes.

As projeções de inflação do Copom, no seu cenário de referência, situam-se em 4,0% para 2024 e 3,4% para 2025. Para a inflação de preços administrados, as projeções são de 4,4% em 2024 e 4,0% em 2025. Em um cenário alternativo, no qual a taxa Selic se mantém constante, as projeções de inflação são de 4,0% para 2024 e 3,1% para 2025.

O comunicado do Banco Central destaca diversos fatores de risco para a inflação. Entre os riscos de alta, estão a persistência das pressões inflacionárias globais e a resiliência da inflação de serviços, que pode ser maior devido a um hiato do produto mais apertado. Por outro lado, os riscos de baixa incluem uma desaceleração econômica global mais acentuada e os impactos mais fortes do aperto monetário sincronizado na desinflação global.

Agrolink