Levantamento do Procon aponta aumento de quase 50% no preço do arroz e queda no valor dos ovos

Pacote de 5kg de arroz chega a R$ 18,40 e o de ovos caiu de R$ 15,46 em março para R$ 10,54 neste mês de setembro

0
138
Foto: Ricardo Medeiros/Arquivo

Desde o início da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o preço dos produtos alimentícios tem sofrido reajustes. Segundo o levantamento realizado pelo Procon Linhares nos principais supermercado do município – no período entre 30 de março a 2 de setembro de 2020 –, o preço do arroz tipo 1 teve um aumento de 47,91%, passando de R$ 12,44 para R$ 18,40 o pacote de 5kg.

Outros produtos alimentícios também sofreram reajuste nesse período: óleo de soja (34,47%); carne bovina – patinho (13,38%) e acém (12,03%); carne suína – com osso (22,02%) e sem osso (17,55%); leite (13,02%); farinha de trigo (6,57%); macarrão (1,68%) e café em pó (0,69%).

Apesar do aumento no preço dos produtos que compõem a cesta básica, houve retração nos valores da dúzia de ovos (- 46,68%); cebola (- 41,19%); batata inglesa (- 38,30%); alho (- 36,40%); tomate (- 23,71%); feijão carioca 1kg tipo 1 (- 9,14%); – açúcar cristal 5kg (- 3,41%); frango congelado/resfriado 1kg (- 1,36%); farinha de mandioca 1kg (- 0,31%).

Governo Federal é acionado
O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor – Procon de Linhares encaminhou, na sexta-feira (4), o Ofício nº 001/2020 à Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) – vinculada ao Ministério da Justiça e Segurança Pública –, solicitando o monitoramento do mercado em relação ao aumento de preço dos produtos alimentícios, especialmente aqueles que compõem a cesta básica.

No documento, também encaminhado ao Ministério da Agricultura e Ministério da Economia, o órgão solicita providências do Governo Federal para amenizar os efeitos da alta dos preços e garantir ao brasileiro, em especial à população linharense, acesso a itens básicos da sua alimentação.

O Ofício é assinado em articulação com a Associação Brasileira de Procons (ProconsBrasil), com a Associação Nacional do Ministério Público do Consumidor (MPCON) e Comissão de Defesa do Consumidor, do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Federal).

No documento, as entidades, que representam todos os Procons Estaduais e Municipais do País, manifestam preocupação em relação ao posicionamento da Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e da Associação Brasileira da Indústria do Arroz (Abiarroz) quanto ao aumento do preço de produtos como arroz, feijão, leite, óleo de soja e carne. O reajuste nos preços desses produtos – que pode chegar a 80% – tem sido motivo de reclamação dos consumidores de todo o Brasil.

Site de Linhares

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here